sexta-feira, 30 de dezembro de 2011

Feliz 2012!



Os anos se esvaem...  
E nem sempre estamos atentos ao que realmente importa. 
Deixe a vida fluir, e perceba entre tantas exigências do cotidiano 
o que é indispensável para você! 

Crie uma nova vida... Um novo dia... 
Um novo ano que ora se inicia! 
Crie, parte por parte... 
Faça a sua arte, daqui pro futuro.
 
Que 2012  venha cheio de Paz, 
Saúde, compreensão e Muito amor!

Leandra e Mario

segunda-feira, 26 de dezembro de 2011

DECEMBER, 2011 CHALLENGE: LETTING NATURE DO THE WORK...

Pão Sourdough o pão sem fermento, fermentado a partir da própria farinha.



Our Daring Bakers Host for December 2011 was Jessica of My Recipe Project and she showed us how fun it is to create Sour Dough bread in our own kitchens! She provided us with Sour Dough recipes from Bread Matters by AndrewWhitley as well as delicious recipes to use our Sour Dough bread in from Tonia George’s Things on Toast and Canteen’s Great British Food!






Este pão é feito sem adição de levedura ou qualquer tipo de fermento. Demora no mínimo 5 dias pra começar a ficar pronto,mas o sabor  característico  é incomparável!  É um pão mais rústico porém delicioso.   


Tínhamos três receitas diferentes para escolher.  Eu fiz duas delas.  Esta aí de cima é uma receita de pão Russo, feita só com farinha de centeio, água e sal.  O Francês Rústico aí de baixo, é feito com farinha integral, farinha de trigo normal, água e sal.


Duas delícias diferentes.  Ambos aprovadíssimos!




As receitas originais e o passo a passo estão aqui!


sábado, 24 de dezembro de 2011

Feliz Natal!!!



Desejamos a todos nossos amigos, muita 
Paz, Luz Divina e Amor 
em seus corações fraternos.

Feliz Natal

Leandra e Mario

domingo, 18 de dezembro de 2011

South Korea a Nation to Watch (History Channel)



Como este site não é só sobre comida, aqui vai um documentário sobre a Coréia, feito pelo History Channel.


Se você não tem idéia de por que a Coreia do Sul está recebendo toda essa atenção ultimamente você pode aprender algumas coisas. Entenda a cultura do "pali pali"  (rápido rápido). Assim como eu, dmire seu nacionalismo e a forma como eles trabalham tão duro para o bem do país. 

O slogan que eles estão usando no site da History Channel para este vídeo completo já diz tudo.

"Veja como a Coréia do Sul transformou-se no milagre econômico, o seu lugar na Ásia hoje, e por isso é visto por muitos como uma nação no 'centro do mundo '. 

O vídeo total tem quase 50 minutos de duração e está em 08 partes no You tube.  
Realmente vale a pena assistir! Está sem legendas em portugues ainda.




















segunda-feira, 5 de dezembro de 2011

Pasta de alcachofra



Domingão preguicento? Merece um lanche leve pra não pesar na consciência!


Ricota feita em casa, alcachofra em conserva picada, sal, azeite e salsinha.  Rapidíssimo de fazer e delicioso de comer. 


As quantidades?  Depende da galera que estiver aí pra dividir. Aqui pra nós dois, usei uns 300 gramas de ricota, uma lata de alcachofra (300 gramas) em conserva, sal, azeite e salsinha a gosto.


Na foto uma sugestão de servir, mas você pode ser criativo!!!

sábado, 26 de novembro de 2011

THE DARING BAKERS’ NOVEMBER, 2011 CHALLENGE: FILIPINO DESSERTS - SANS RIVAL CAKE



THE DARING BAKERS’ NOVEMBER, 2011 CHALLENGE: FILIPINO DESSERTS - SANS RIVAL CAKE

Catherine of Munchie Musings was our November Daring Bakers’ host and she challenged us to make a traditional Filipino dessert – the delicious Sans Rival cake! And for those of us who wanted to try an additional Filipino dessert, Catherine also gave us a bonus recipe for Bibingka which comes from her friend Jun of Jun-blog.





"Sans rival" significa "sem rival" e qualquer Filipino irá argumentar com você que isso é verdade. Embora seja uma das sobremesas mais populares nas Filipinas, as suas origens são certamente francesas. Na década de 1920 a 30, havia muitos filipinos, que foram para o exterior para estudar. Um bom número foi para a França e aprendeu muitas técnicas de culinária francesa, que depois trouxe para casa. A  Sans Rival é feita com camadas de Dacquoise, (merengue) geralmente usando castanha de caju triturada, com muito da rica cobertura buttercream francesa. O Dacquoise é assado até ficar seco como uma camada crocante que  intercalará o creme amanteigado e sedoso. 


Sans Rival:
Serve 12 pessoas

Ingredientes
10 claras, de ovos grandes em temperatura ambiente
1 xícara de açúcar branco granulado
1 colher de chá de cremor tártaro
¼ xícara de cacau em pó (opcional e não tradicional) 
*** eu substituí por morango em pó que só vi aqui na Coréia!!!
2 xícaras de castanha de caju picadas e moídas

Direções:
Dependendo do tamanho do seu forno, você terá de assar as camadas, que são quatro no total, em duas ou mais vezes.  Assegure-se de ter sempre papel  e uma forma fria para colocar a nova camada antes de assar.
1. Pré-aqueça o forno a 160 ° C.
2. Forre o fundo da forma com o papel manteiga.
3. Bata as claras em velocidade moderada, até formar picos firmes.  Polvilhe com o cremor tártaro. Aos poucos, adicione o açúcar, duas colheres de sopa de cada vez, continuando a bater agora em velocidade alta até formar picos duros e brilhante.
4. Misture uma parte da castanha moída, reservando o suficiente para usar como decoração.
5. Divida o merengue em quatro partes iguais. Espalhe na forma, uniformemente para as bordas. Se fizer em lotes, use papel manteiga e forma resfriada para cada lote.
Se preferir, desenhe o círculo do tamanho que deseja no papel manteiga e faça a camada daquele tamanho.
6. Asse em forno pré-aquecido por 30 minutos ou até dourar. Retire o merengue do tabuleiro enquanto ainda quente, deixe esfriar um pouco. Retire o papel enquanto ele ainda está quente, é difícil de remover, por vezes, quando estiver completamente resfriado.
7. Quando estiver frio,  recorte para que todos as quatro camadas de merengue fiquem uniformemente iguais. Reserve.

Creme de manteiga francês:
Ingredientes
05 gemas de ovos grandes, temperatura ambiente
01 xícara de açúcar branco granulado
1 / 4 xícara de água
01 ¼ xícara de manteiga sem sal, temperatura ambiente
Sabor opcional: 55 gramas de chocolate sem açúcar, derretido, ou 1 ½ colher de chá extrato de amêndoas, ou 1 ½ colher de chá de extrato de baunilha, ou qualquer sabor que você goste.

Direções:
1. Coloque as gemas em uma tigela. Bata em velocidade alta até que as gemas dobraram em volume.
2. Coloque o açúcar e a água numa panela e cozinhe em fogo médio até o açúcar se dissolver e a calda atingir 112° C.
3. Com a batedeira em alta, muito lentamente despeje a calda abaixo pelos lados da tigela, até que tudo tenha sido adicionado. Tenha cuidado, pois a calda muito quente pode queimar-lhe se houver respingos dos batedores. Continue batendo em alta velocidade até que a mistura esteja a temperatura ambiente (cerca de 15 minutos). Ainda em alta velocidade, bata a manteiga amolecida, um quarto de colher de cada vez. Adicionar aromatizantes depois de bater na manteiga. Refrigerar pelo menos uma hora, e mistura-lo até ficar liso, pouco antes de usar.
Montagem:
Comece com um merengue  no fundo,  com um pouco de creme de manteiga para segurá-lo no lugar. Espalhe uma camada fina de creme e coloque outro merengue por cima. Repita com uma camada fina de creme, merengue, camada fina de creme, merengue e, finalmente, creme por cima e dos lados. Decore com as castanhas reservados.

Leve à geladeira até que esteja pronto para servir. É mais fácil de cortar frio. Pode congelar.

quinta-feira, 24 de novembro de 2011

Agnolini ou capeletti de carne in broddo


Descendente de  italianos que sou, cresci ouvindo que o nome dessa massa é Agnolini. Muitos chamam de Capeletti. Creio que até deve haver explicação e diferenciação, mas pra mim é basicamente confort-food!

Domingo de ressaca após uma noitada de Fondue e vinho, minha alma pedia por uma sopa destas. 

Preparando o caldo, que chamamos de broddo, coloquei na panela pra dourar uns pedaços de carne.  Quando a carne dourou, juntei uma cebola cortada em 4, e um ramo de tomilho, mais uma refogadinha e água pra ferver até a carne ficar macia e a cebola desmanchar. Coisa de uma hora mais ou menos, e enquanto isso, preparei os agnolini. 

Pra fazer a massa usei 01 ovo e aproximadamente 1 xícara de farinha. Amassei e abri bem fina.Cortei em quadrados de aproximadamente 04 cm de lado. Quanto menorzinho mais bonitinho, e facilita a comer depois. É uma bocada só. 

Para o recheio, usei uns 100 gramas de picanha que eu tinha em casa. Piquei na faca, bem miudinho e temperei com sal, pimenta e tomilho.  O recheio é usado cru, para reter mais o sabor dentro do "chapeuzinho". E como a quantidade é pequena, cozinha muito bem no broddo, não deixando nada cru, só mais saboroso.

Terminada a montagem, acertei a quantidade de água e sal do broddo e ao ferver adicionei a massa.  Ferveu por 5 minutos e ao servir, acrescentei mais tomilho fresco pra realçar o sabor.

Nhammm...


terça-feira, 1 de novembro de 2011

Carne seca com abóbora



Aqui nesta terra que começa a fazer frio, volta e meia dá uma saudades de algumas coisas e pessoas. E esta memória afetiva normalmente é associada a algum cheiro ou sabor. Cabeça de gordo, eu sei, mas é assim.

Hoje me deu saudades da Mariana, do Bodvar e dos dias que passamos lá mês passado. O nosso último jantar juntos na viagem foi carne seca com abóbora. 

Eu tinha comprado esta carne, um filé mignon suíno, na primeira ida ao mercado quando retornei.  No mesmo dia coloquei-o para secar no sal.  Jeitinho brasileiro de fazer um "industrializado caseiro" das coisas que não tem por aqui.

Lavei a carne para retirar o sal, fatiei e aferventei duas vezes para retirar o excesso de sal. Enquanto isso, cortei a tampa de uma abobrinha, retirei as sementes, lambuzei com azeite e sal e fui cozinhando no microondas, um minuto cada vez, até ficar tenra, mas não desmanchando.

Depois de escorrer a segunda vez e provar a carne  para saber o teor de sal restante,  em uma frigideira funda coloquei a carne e um dente de alho amassado pra refogar num fio de óleo. Depois juntei uma cebola grande cortada  em fios longos e deixei até dourar.

Recheei a abóbora com a carne e a cebola e mantive no forno em fogo baixíssimo pra manter quente e o sabor da carne se integrar ao da abóbora.  

A pimenta desta vez só fez figuração só pra foto, mas se você gosta, porque não incorporar?


segunda-feira, 31 de outubro de 2011

Espirais com geléia de abricó


Tentei comprar aqui um coco fresco, para fazer uma Rosca Húngara. Não funcionou. Quando abri ele tinha um gosto estranho, nada apetitoso. Foi pro lixo.  Tentei então apelar para uma lata de coconut creamfilipino, uma espécie de creme de leite de coco e também tinha um fundo nojento no sabor. Desisti. Desisti de fazer o recheio, porque a massa eu já tinha feito.

A massa:

01 xícara de água morna
01 colher de sopa de açúcar
01 colher de chá de sal
50 gramas de manteiga
3 xícaras de farinha
1 colher de chá de fermento fresco

Eu usei a máquina de pão para misturar e sovar no início, mas não é necessário, é só misturar os ingredientes e depois sovar um pouco até ficar homogênea.

A massa depois da primeira crescida (40 minutos) pode ficar um pouco pegajosa, mas uma bancada polvilhada de farinha evita com que grude na mesa.
Usei geleia de abricó, que não é muito doce e uma pequena porção de leite condensado.

Abri a massa que já estava crescida, usando as mãos, espalhando devagar. distribuí o recheio, enrolei como um rocambole e cortei em fatias que forma dispostas em uma forma e deixadas pra crescer novamente por uma hora.

Assei em forno médio (160º) por 25 minutos.

Ficou gostoso. E se alguém sentir falta de doce, é só servir com umas colheradas de leite condensado como cobertura.

domingo, 30 de outubro de 2011

pão de queijo





Foi inspirada na Receita que encontrei no IG, que fiz esta, devidamente adaptada para os ingredientes disponíveis aqui na Coréia:



INGREDIENTES

  • 2 xícaras (chá) de leite
  • ½ xícara (chá) de óleo (usei de oliva)
  • 500 g de polvilho doce ou azedo
  • 1 colher (sopa) de sal
  • 150 g de queijo meia-cura  grana padano ralado no ralo grosso
  • 2 ovos

MODO DE PREPARO

Esquente o leite e o óleo e jogue em cima do polvilho. Misture bem e acrescente os ingredientes restantes. Se você tiver uma pra massa pesada, use a batedeira até obter uma massa homogênea e grudenta.
Faça bolinhas com a massa, espalhe-as em assadeiras, deixando um espaço livre entre elas e leve ao forno quente (200°C), preaquecido, por 15 minutos ou até que comecem a dourar. Retire do forno e sirva quente






quarta-feira, 26 de outubro de 2011

THE DARING BAKERS’ OCTOBER, 2011 CHALLENGE: POVITICA


Povitica (pronuncia-se po-va-teet-sa) é pão doce tradicional do Leste Europeu, que é tradicionalmente servido durante a temporada de férias. É também conhecido como Nutroll, Potica, Kalachi, Strudia, só paracitar alguns nomes. 

Receitas de família e a espessura da massa são alguns dos segredos da receita que é passada de geração em geração das famílias. 



The Daring Baker’s October 2011 challenge was Povitica, hosted by Jenni of The Gingered Whisk. Povitica is a traditional Eastern European Dessert Bread that is as lovely to look at as it is to eat!


Para um pão doce Povitica, você precisa:

Para ativar o fermento:
½ colher de chá de açúcar
¼ colher de chá de farinha de trigo
2 colheres de água morna
1 ½ colheres de chá fermento seco

para a massa:
½ copo Leite Integral
3 colheres de açúcar
¾ colher de chá de sal de mesa
1 ovo grande
1 colher de sopa de manteiga sem sal, derretida
2 xícaras de farinha de trigo, primeira medida, em seguida, peneirar, dividido

para a cobertura:
2 colheres  de café bem forte e frio
1 ½ colheres de chá de açúcar granulado
Manteiga derretida

para o recheio
1 ¾ xícaras Nozes 
¼ copo leite Integral
¼ xícara de manteiga sem sal
1 gema de ovo de um ovo grande, batido
¼ colher de chá de extrato de baunilha
½ copo de açúcar
¼ colher de chá de cacau em pó sem açúcar
¼ colher de chá de canela

Misture os ingredientes listados e deixe o fermento ativar. Deixe repousar por 5 minutos

Para fazer a massa:
Em uma panela média, aqueça o leite até pouco abaixo do ponto de fervura, mexendo sempre para não se forme uma película sobre a superfície do leite.  Deixe esfriar um pouco, até que seja cerca de 45° C.
Em uma tigela grande, misture o leite escaldado, o açúcar e o sal.
Adicione o ovo batido,  a mistura de fermento, manteiga derretida, e uma xícara de farinha.
Misture bem e adicione lentamente parte da farinha restante, misturando bem até que a massa começa a desgrudar do prato.
Coloque a massa sobre superfície enfarinhada e amasse, acrescentando farinha aos poucos um pouco de cada vez, até ficar homogêneo e não duro. 
Coloque a massa em tigela levemente untada com óleo, cubra com uma camada de filme plástico e em seguida, um pano de cozinha e deixe crescer uma hora e meia em um lugar quente, até dobrar de tamanho.

Para fazer o recheio
Em uma tigela grande misture as nozes, açúcar, canela e cacau.
Aqueça o leite e a manteiga até ferver.
Despeje o líquido sobre a mistura de sólidos.
Adicione os ovos ea baunilha e misture bem.
Deixar repousar em temperatura ambiente até que esteja pronto para ser espalhado sobre a massa.
Se a mistura engrossar, adicione uma pequena quantidade de leite morno.

Para rolar e montar a Massa:
Espalhe uma de papel ou pano limpo sobre a sua mesa de trabalho inteira.
Polvilhe com um punhado de farinha de trigo (use a farinha com moderação)
Coloque a massa sobre a folha e abra a massa com um rolo, começando no meio até que tenha uns 30 cm de diâmetro.
espalhe uma colher de sobremesa de manteiga derretida por cima.
Usando as mãos, esticar a massa para fora do centro até que a massa esteja fina, transparente  e uniformemente opaca. Você também pode usar seu rolo,se preferir.
Espalho o recheio uniformemente sobre a massa, até cobrir.
Levante a borda do pano e gentilmente enrolar a massa como um rolo de geleia.
Feito o rolo, coloque em uma forma de pão untada em forma de "U", com as extremidades pra fora. Você gira a massa em torno de si, pois isso dará a massa o seu aspecto característico quando cortado.
Pincele a parte superior do pão com uma mistura de café forte frio adoçado. Se preferir, você também pode usar clara de ovo no lugar do café.
Cobrir levemente com filme plástico e deixe descansar por aproximadamente 15 minutos.
Preaqueça o forno a 180 ° C .
Remova plástico da massa e coloque no forno pré-aquecido e asse por aproximadamente 15 minutos.
Abaixe a temperatura do forno para 150 ° C , e deixe ao forno por mais 45 minutos, ou até corar
Retire o pão do forno e pincele com manteiga derretida.
Verifique o pão a cada 30 minutos para garantir que o pão não está a ficar demasiado escuro. Você pode cobrir os pães com uma folha de papel alumínio, se você precisar.
Retire do forno e deixe esfriar sobre uma grelha por 20-30 minutos.
Delicie-se com a Povitica!!


Você pode encontrar o original da receita, em inglês  aqui!! E em português com a maestria de sempre no Blog da Renata Lacerda, Testado, Provado e Aprovado.

quarta-feira, 12 de outubro de 2011

bolinho de bacalhau



Vir pra Noruega e não comer bacalhau é quase uma infâmia né?  Pois hoje foi o dia!!!

Fácil demais de fazer!

800 gramans de bacalhau já dessalgado, aferventado, escorrido e despedaçado.
500 gramas de batata cozida no vapor e amassada
salsinha picada
1 ovo

Amasse tudo, até formar uma pasta macia. forme os bolinhos e frite em óleo quente até dourar.

Não usei farinha porque a massa ficou incrível só com o peixe e as batatas.
O Bolinho de bacalhau ficou uma delícia e sequinho!!!!
Quase não deu tempo de fotografar!!!


segunda-feira, 26 de setembro de 2011

THE DARING BAKERS’ SEPTEMBER, 2011 CHALLENGE: FRESH, FLUFFY, FRENCH




Croissant!


The Daring Bakers go retro this month! Thanks to one of our very talented nonblogging members, Sarah, the Daring Bakers were challenged to make Croissants using a recipe from the Queen of French Cooking, none other than Julia Child!




Este desafio proposto pela Dearing Kitchen Sarah, uma canadense não-blogueira, que vive em Varsóvia, na Polônia, nos fez entender que existem dois tipos de croissant - de Paris e de Viena. A receita do desafio veio do livro de Julia Child, então Sarah assumiu que eles eram a versão parisiense. No entanto, quando ela verificou a Enciclopédia Larousse culinária, percebeu que a receita de Julia Child parece mais de acordo com a receita dos croissant vienenses...

De qualquer forma, croissants são perfeitos, fofinhos, amanteigados, e deliciosos!


A fonte da receita: Dominando a Arte da Culinária Francesa, Volume Dois. Julia Child e Simone Beck.

Para  12 croissants: 

7 gramas de fermento fresco ou 4g de fermento seco ativo 
45 ml de água morna 
1 colher de chá  de açúcar
1 ¾ xícaras de farinha de trigo forte (eu usei farinha com proteínas 23%)
2 colheres de chá de açúcar 
1 ½ colher de chá de sal½ copo de leite 
2 colheres de sopa de óleo vegetal
½ copo de manteiga, sem sal gelada
1 ovo, para pincelar

Modo de fazer  (Paciência, o que é gostoso leva tempo, neste caso, mais de 12 horas)

1. Misture o fermento, água morna e a primeira colher de chá de açúcar em uma tigela pequena. Deixar de lado para dissolver o fermento crescer um pouco.
2. Medir os outros ingredientes
3. Aqueça o leite até morno e dissolver o sal e o açúcar restante
4. Coloque a farinha em uma tigela grande.
5. Adicione o óleo, a mistura de fermento, e mistura de leite à farinha
6. Misture todos os ingredientes juntos usando a espátula, só até toda a farinha ser incorporada
7. Coloque a massa sobre uma superfície enfarinhada e deixe descansar um minuto enquanto você lava a tigela
8. Sove a massa oito a dez vezes apenas. A melhor maneira é como Julia Child ensina é que essencialmente jogar a massa no balcão e remover usando o raspador de pastelaria.
9. Coloque a massa novamente na tigela e coloque em um saco plástico 
10. Deixe a tigela em lugar seco e quentinho por três horas, ou até que a massa triplicou de tamanho.
11. Após a massa triplicar de tamanho, remova-o suavemente da tigela, puxando-a para longe das laterais da tigela com os dedos.
12. Coloque a massa em um tabuleiro levemente polvilhada com farinha ou bancada, e use as mãos para pressioná-lo para fora em um retângulo de 20 x 30 centímetros mais ou menos
13. Dobre o retângulo de massa em três, como uma carta
14. Coloque a massa carta de volta na tigela, e cubra com saco plástico.
15. Deixe a massa crescer por mais 1,5 horas, ou até que tenha dobrado de tamanho. Este segundo aumento pode ser feito durante a noite na geladeira.
16. Coloque a massa em um prato e cubra firmemente com filme plástico. Coloque o prato na geladeira enquanto prepara a manteiga.
17. Uma vez que a massa tenha dobrado, é hora de incorporar a manteiga
18. Coloque o bloco de manteiga gelada em uma tábua de cortar.
19. Usando o rolo da massa, bata a manteiga para baixo um pouco, até que é bastante plana.
20. Use a palma da sua mão para continuar a espalhar a manteiga até que fique lisa. Você quer que a manteiga fique fina, mas se espalhe facilmente.
21. Retire a massa da geladeira e coloque-o sobre um local polvilhado com farinha. Deixe descansar por um minuto ou dois.
22. Espalhe a massa com as mãos em um retângulo de 35 cm por 20 cm
23. Retire a manteiga da placa, e coloque-a na metade superior do retângulo de massa 
24. Espalhe a manteiga por toda a parte superior de dois terços do retângulo de massa, mas mantenha meio cm de bordas.
25. Dobre o terço superior da massa para baixo, e no terço inferior da massa para cima.
26. Gire o pacote de massa de 90 graus, de modo que a aba superior fique a sua direita
27. Use o rolo na massa delicadamente, para que você não empurre a manteiga fora da massa até que seja novamente de 35 cm por 20 cm
28. Novamente, dobre o terço de cima para baixo e de baixo para cima
29. Embrulhe o pacote de massa em filme plástico e coloque-o na geladeira por 2 horas.
30. Retire a massa da geladeira e colocá-lo novamente em local levemente polvilhada com farinha.
31. Toque a massa com o rolo, para esvaziar um pouco
32. Deixe a massa descansar por 8 a 10 minutos
33. Abra a massa para  novamente ficar com 35 cm por 20 cm.
34. Dobre em três, como antes
35. Abra novamente  até 35 cm por 20 cm.
36. Dobre em três pela última vez, embrulhe em plástico, e devolver o pacote de massa para a geladeira por mais duas horas ou durante a noite, com algo pesado em cima para parar de subir.
37. Agora é hora de cortar a massa e moldar o croissant.
38. Primeiro, unte a forma com manteiga
39. Retire a massa da geladeira e deixe descansar por 10 minutos na mesa polvilhada com farinha 
40.Abra a massa  em um retângulo de 50 cm por 25 cm mais ou menos
41. Corte a massa em dois retângulos 25 cm por 12 ½  cm
42. Coloque um dos retângulos na geladeira, para manter a manteiga gelada
43. Abra o segundo retângulo até que triplicar o comprimento
44. Corte o retângulo em três quadrados 12 cm por 12  mais ou menos
45. Coloque duas das peças na geladeira
46. A peça ainda pode ter diminuído um pouco no período. Abra novamente até que seja quadrado
47. Corte o quadrado na diagonal em dois triângulos.
48. Esticar o triângulo um pouco, por isso não é um triângulo retângulo de ângulo, mas mais de um isósceles.
49. A partir do final de largura, enrole do triângulo para cima em direção ao ponto, e uma curva em forma de lua crescente.
50. Coloque o croissant na assadeira
51. Repita o processo com as restantes praças de massa, criando 12 croissants no total.
52. Deixe a bandeja de croissants, coberto levemente com filme plástico, para crescer por 1 hora
53. Pré-aqueça o forno no máximo (250º)
54. Misture o ovo com uma colher de chá de água
55.Pincele os croissants com o ovo.
56. Coloque os croissants no forno por 12-15 minutos, até que os topos dourem
57.Retire os croissants do forno e coloque-os sobre uma grade para esfriar por 10 minutos antes de servir.




Dá trabalho, mas é muito gostoso!!!!!


Quem quiser um passo a passo bem explicadinho, aqui no Blog da Renata Lacerda tem!!